Exposição Documental alusiva à vida de Armindo Monteiro

O Arquivo Histórico-Diplomático organizou uma exposição com documentos que retratam a atividade de Armindo Monteiro enquanto diplomata, no conturbado período que antecedeu a Segunda Guerra Mundial.

 

Armindo Rodrigues de Sttau MONTEIRO nasceu a 16 de dezembro de 1896 em Vila Velha de Ródão. Esta personalidade da política portuguesa do século XX notabilizou-se pelo rico percurso académico, político e diplomático.

Em termos académicos, Armindo Monteiro foi Doutor em Direito, professor Catedrático da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e Doutor Honorário em Direito pela Universidade de Oxford. Em termos políticos e adminstrativos, exerceu os cargos de Diretor do Instituto Nacional de Estatística, membro vitalício do Conselho de Estado; entre 1929 e 1931 foi Sub-secretário de Estado das Finanças; e, entre 1926 e 1927, foi o responsável do governo português na delegação que liquidou a dívida de guerra à Inglaterra.

Enquanto diplomata, exerceu importantes cargos como:

  • Chefe da 1.ª delegação portuguesa à Conferência Internacional para uma acção económica concertada em 1930
  • Ministro das Colónias de 1931 a 1935
  • Ministro dos Negócios Estrangeiros de 1935 a 1936
  • Membro do Instituto Colonial Internacional
  • Delegado à Comissão de Não-Intervenção na guerra civil de Espanha
  • Representante de Portugal em várias sessões do Conselho da Sociedade das Nações
  • Embaixador em Londres de 1936 a 1937.

 

A exposição inclui alguns documentos de grande interesse histórico:

  • Discurso na Assembleia da Sociedade das Nações;
  • Nota com as reservas e condições da adesão de Portugal ao acordo de Não-intervenção na Guerra Civil de Espanha;
  • Carta dirigida á Comissão de Não-Intervenção na Guerra Civil de Espanha
  • Memória sobre a situação económica e financeira de Portugal
  • Carta dirigida ao Embaixador de Espanha em Portugal relativa às acusações de ajuda do governo português aos nacionalistas espanhóis

 

Discurso SDN 3 julho 1936

nota reservas condiçoes adesao não intervencao guerra civil Resposta às acusaçoes russas memoria sobre situacao economica financeira portugal Carta 23 Outubro 1936<
Discurso  na Assembleia da Sociedade das Nações (03 de julho 1936) Nota com as reservas e condições da adesão de Portugal ao acordo de Não-intervenção na guerra civil de Espanha Carta  dirigida à Comissão de Não-Intervenção na guerra civil de Espanha em resposta a acusações do Governo Russo (20 de outubro de 1936) Memória sobre a situação económica e financeira de Portugal Carta dirigida ao Embaixador de Espanha em Portugal relativa às acusações de apoio do governo português aos nacionalistas espanhóis