O Ministério dos Negócios Estrangeiros e a Embaixada de Israel em Portugal organizaram uma homenagem conjunta alusiva aos diplomatas reconhecidos como “Justos entre as Nações”.

 

A Homenagem “Para Além do Dever – Diplomatas Reconhecidos como Justos entre as Nações”, realizada no Palácio das Necessidades, evoca a coragem de 36 diplomatas de 20 países que correram inúmeros riscos para salvarem judeus que tentavam escapar ao extermínio Nazi. A celebração incluiu uma exposição e uma conferência que teve como oradores o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, a Embaixadora de Portugal na República Checa, Manuela Franco, e o Embaixador de Israel em Portugal, Raphael Gamzou.

A lista dos diplomatas homenageados inclui dois portugueses: Aristides de Sousa Mendes, Cônsul-Geral em Bordéus, e Carlos Sampaio Garrido, Embaixador na Hungria. O reconhecimento como “Justos entre as Nações” é atribuído pelo Yad Vashen, Memorial do Holocausto de Jerusalém, aos não judeus que chegaram a arriscar a própria vida para salvar, proteger ou ajudar judeus durante a II Guerra Mundial.

Embora não incluído no rol dos “Justos “, os oradores também prestaram tributo a Carlos Teixeira Branquinho, Encarregado de Negócios em Budapeste. Estes três diplomatas portugueses conseguiram salvar a vida a dezenas de milhares de refugiados, principalmente judeus.

Clique aqui para ler o discurso da Embaixadora Manuela Franco

Ou veja o vídeo do discurso do Ministro Augusto Santos Silva